Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

20017446_1936671359919938_3579838563851513573_o
No comando: Sertão Vazio

Das 05:55 as 07:15

20017446_1936671359919938_3579838563851513573_o
No comando: Sertão Vazio – Sábado e Domingo

Das 05:55 as 08:00

cafe
No comando: Café e Viola

Das 07:00 as 09:00

mais-saude
No comando: De bem com a vida

Das 07:31 as 08:30

Jornal
No comando: Jornal 1ª Mão

Das 07:31 as 08:30

show-da-manha
No comando: Show da Manhã

Das 08:31 as 09:59

vinil
No comando: A Hora do Vinil

Das 09:00 as 12:00

padre
No comando: Experiência de Deus

Das 10:00 as 11:00

classificados-empregos
No comando: Classificados do Rádio

Das 11:00 as 12:00

arquidiocese-de-maringa-tera-padres-gemeos-ordenacao-de-vanderley-dos-santos-rigon-sera-dia-20-de-maio-16-05-2016
No comando: Paróquia em ação

Das 11:01 as 12:00

dom-anuar-battisti
No comando: Nova Aliança

Das 12:00 as 13:00

frequencia-maxima
No comando: Frequência Máxima

Das 13:00 as 14:00

anos60
No comando: Recordar é Viver

Das 15:00 as 16:59

sertanejo
No comando: Coração Sertanejo

Das 17:00 as 19:00

a_voz_do_brasil_logo-svg
No comando: A Voz do Brasil

Das 19:01 as 19:59

20017446_1936671359919938_3579838563851513573_o
No comando: Túnel do Tempo

Das 20:00 as 22:00

Saúde vai fazer estudo para avaliar eficácia da 3ª dose da CoronaVac

Compartilhe:
O Distrito Federal começou a vacinar pessoas com 49 anos a partir de hoje. A vacinação contra a Covid-19 começou no dia 19 de janeiro e o DF já  recebeu 1.455.070 doses de imunizantes.

O Ministério da Saúde anunciou hoje (28) que iniciará estudo para avaliar a eficácia da aplicação da terceira dose da vacina contra a covid-19 CoronaVac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, vinculado ao governo de São Paulo.

A pesquisa será realizada em parceria com a Universidade de Oxford, do Reino Unido. Nela, será analisada a possibilidade de aplicação de outras vacinas como 3ª dose para quem tomou as duas primeiras da CoronaVac.

A principal pesquisadora, Sue Anne Clemens, da instituição britânica, afirma que serão analisados casos de uso da terceira dose com diferentes imunizantes, de outras farmacêuticas.

“Vamos vacinar pessoas que já tenham tomado duas doses da CoronaVac, seis meses depois da segunda dose. Temos quatro grupos [de estudo]: um com reforço da CoronaVac, outros com Janssen, Pfizer e AstraZeneca”, diz.

Segundo a pesquisadora da Universidade de Oxford, o estudo serviria para subsidiar uma nova estratégia de vacinação. Contudo, a pesquisadora e o Ministério não explicaram que nova estratégia seria esta e por que a necessidade de intercambialidade para quem tomou duas doses da CoronaVac.

Segundo o Ministério da Saúde, 12 mil voluntários participarão da pesquisa.

Fonte: Agência Brasil

Deixe seu comentário: